A identidade visual de uma empresa é composta por um conjunto de elementos formais que representa visualmente, e de forma sistematizada, um nome, ideia, produto, instituição ou serviço. Esse conjunto de elementos costuma ter como base um logotipo, um símbolo visual ou uma paleta de cores. Entretanto, nem sempre é preciso criar esse logo: você poderá trabalhar com outros objetivos dentro do design para as redes sociais

Escolha as cores da sua marca estrategicamente | Foto: Vasundhara Srinivas

As principais características do produto, a escolha de uma fonte coerente e uma paleta de cores condizente com a mensagem que você deseja transmitir são etapas primordiais para a definição de uma identidade visual. Em contrapartida, não é só isso que fará diferença nas suas redes sociais. Preze por um relacionamento com os seus clientes e adapte a linguagem para o tipo de plataforma a ser utilizada.  

Como criar uma boa identidade visual

Uma identidade visual bem criada tem tudo a ver com credibilidade e profissionalismo. A pessoa, ao entrar no seu perfil, já saberá que você preza por um marketing digitalbem desenvolvido. Pense em cores e imagens que causem impacto e gerem empatia e identificação do público-alvo. Para construir e manter uma boa representação diante da audiência, tenha em mente alguns conceitos de design e as etapas do processo de criação. 

1. Estudo da origem da empresa

Por meio do estudo da história e perfil da empresa, é possível criar uma logomarca, se você sentir necessidade. Com essa pesquisa, também fica mais fácil pré-definir cores, fontes de letras, imagens a serem utilizadas e outras características que serão importantes para a construção da identidade visual completa. Além disso, os valores da corporação devem ficar evidentes para que o design se relacione bem com isso e não exista discordância entre ambos.

2. Estudo das cores

A cor desempenha uma função importante na percepção visual de cada um e pode instigar alguns sentimentos como euforia, paz, tristeza, alegria e tranquilidade, por exemplo. Por isso, é importante refletir bem antes de definir a paleta de cores da sua marca, ou seja, o conjunto de tons que irá utilizar para a criação da sua identidade visual. Com a psicologia das cores é mais viável desenvolver uma identidade forte para se destacar em ambientes digitais. Tipologias, referências e tons são muito importantes neste processo de personalizar as redes sociais e deixá-las com a sua cara. No item anterior, os valores foram destacados. Para definir as cores, novamente eles “entram em cena”. 

Com a paleta de cores você escolherá tons para os destaques do Instagram, para o layout do seu blog ou site, para publicações no feed do Instagram e no Facebook, além de utilizá-la também na construção do logo, se você optar por criar um.

3. Estudo das fontes

Depois de definir as cores a serem utilizadas, chegou a hora de escolher as fontes. Elas precisam ser legíveis e estar em equilíbrio com as imagens e os tons escolhidos. Cada tipo de fonte exprime algum sentimento ou ideia: letras cursivas remetem a algo mais sério ou sofisticado, bem clássico. Mas devem ser escolhidas com atenção, pois algumas são difíceis de ler. As letras de forma são mais objetivas. Escolha o tipo que se adeque à sua empresa e à mensagem que você deseja transmitir. 

4. Referências

É claro que somente a teoria não é a solução para criar a melhor identidade visual. Pense em desenvolver materiais e publicações que fujam do usual e agreguem personalidade ao seu negócio e ao seu perfil. As referências são importantes para aguçar o senso de criatividade, mas as cópias só irão desvalorizar o seu trabalho. Pense nisso!