Você Sabe o Que É Taxa de Rejeição?

Compartilhe:

A “Taxa de Rejeição” é uma métrica que só pelo nome já assusta muita gente, mas apesar de causar espanto, acompanhar a taxa de rejeição do seu site é essencial para avaliar a eficácia das suas ações de Marketing Digital e saber com mais precisão o que deve ser otimizado.

A maioria dos profissionais de marketing medem a taxa de rejeição a partir do Google Analytics, ferramenta do Google que fornece aos gestores dados quantitativos e qualitativos sobre sites e aplicativos mobile.

Para te ajudar a perder o receio e encarar a Taxa de Rejeição de frente, vamos falar sobre o que essa métrica representa, qual o valor aceitável e como fazer para diminuí-la.

 

Afinal, o que é Taxa de Rejeição?

 

A taxa de rejeição, ou Bounce Rate,  é um número percentual que indica a quantidade de visitantes que acessaram uma única página do seu blog ou site e, por algum motivo, saíram por essa mesma página sem realizar qualquer ação dentro do site. Cada vez que isso acontece, é contabilizada uma rejeição.

O número percentual é calculado dividindo o número de visitantes que agiram dessa forma em relação ao total de visitas, ou seja, um site que tem 60% de taxa de rejeição significa que 60 pessoas em cada 100 saíram da “página de entrada” sem conhecer as demais.

Este dado pode ser obtido através de ferramentas como o Google Analytics, sendo possível verificar rejeições específicas por palavras-chave e identificar quais expressões precisam de melhorias no conteúdo.
 

 

Taxa de Rejeição X Taxa de Saída

 
Muitas pessoas confundem taxa de rejeição e taxa de saída, apesar de significados similares, ambas possuem impactos bem diferentes.

Enquanto a taxa de rejeição só acontece quando uma pessoa acessa apenas uma página do site, a taxa de saída mostra quantas pessoas estão abandonando o site a partir de determinada página, mesmo se essa não for a primeira página visitada do site.

Dessa forma, a taxa de rejeição está relacionada à página de entrada. Já a taxa de saída, como o nome indica, é referente à página em que o visitante deixa o blog ou site.

 

Por que a Taxa de Rejeição é importante?

 


 
Depois da sua empresa definir uma estratégia de marketing digital e os objetivos específicos para as páginas do seu site ou blog, seja ele o direcionamento para uma solicitação de orçamento, um download para materiais, uma assinatura de newsletter ou a compra de um produto; e ocorrer uma rejeição, isso indicará que o site não conseguiu conduzir o visitante ao objetivo.

Além disso, a taxa de rejeição pode ser um indicativo de qualidade do conteúdo. Afinal, se após acessar uma página o internauta sair imediatamente, uma das possibilidades é que o seu público-alvo não encontrou aquilo que queria ou achou o conteúdo desinteressante.

No caso do tráfego vindo do Google AdWords, a taxa de rejeição é ainda mais importante, isso porque uma alta taxa significa dinheiro desperdiçado em cliques e, consequentemente, aumento do CPL (Custo por Lead).

O Google AdWords também considera a taxa de rejeição no cálculo do índice de qualidade dos anúncios. Isso significa que quanto maior a taxa de rejeição da página de destino dos anúncios, menor será o índice de qualidade e maior será o custo por clique da campanha.

 

Por isso, ao acompanhar as variações da taxa de rejeição, sua empresa conseguirá obter dados importantes sobre a eficácia dos objetivos do site e então pensar em otimizações e planos de melhoria para reduzir a rejeição e possivelmente aumentar a conversão.

 

IMPORTANTE: não é possível afirmar que altas taxas de rejeição são, em todos os casos, indicadores de conteúdo fraco. Isso porque existem outros pontos que devem ser considerados, como por exemplo o tempo de permanência na página.

 

Qual a taxa de rejeição aceitável para um site?

 
Não existe um padrão para calcular o valor ideal da taxa de rejeição, pois ela depende de uma série de fatores como mercado de atuação da empresa, objetivo do site, tipo de conteúdo oferecido, etc.  

Porém, segundo estudo publicado pela Quicksprout, existem alguns números médios de acordo com o tipo de site. São eles:
 

  • Varejo – 20 a 40%
  • Landing pages simples – 70 a 90%
  • Portais (exemplo: G1) – 10 a 30%
  • Sites de serviço/FAQ – 10 a 30%
  • Venda de serviços (geração de leads) – 30 a 50%
  • Sites de conteúdo – 40 a 60%
  • Blogs – 70 a 98%

 

Dicas de como reduzir a taxa de rejeição

 


 

  • Utilize o Google Analytics a seu favor

    Utilizando o Google Analytics, é possível encontrar diferentes formas de melhorar a sua taxa de rejeição. Identifique, por exemplo, as páginas que possuem maior bounce rate e faça uma comparação com as páginas cuja taxa é menor. Dessa forma, você pode utilizá-lo como modelo para o conteúdo a ser desenvolvido no futuro.

 

  • Pense na experiência do usuário
     
    A dica aqui é colocar-se sempre no lugar do usuário e pensar nas características que você gostaria de ver ao acessar um site. Você pode até fornecer um conteúdo rico em informações. Porém, se o seu site ou blog não for intuitivo e amigável para o usuário, a chance dele não engajar e sair da página sem ao menos começar a ler o artigo é grande.

    Por isso, invista na diagramação e formatação do conteúdo, evitando grandes blocos de texto, excesso de banners e pop-ups. Não se esqueça também de incluir subtítulos, imagens, marcadores, enfim, tudo o que possa facilitar a vida do usuário ao consumir o seu conteúdo.

 

  • Insira links internos
     
    Sempre que tiver algum material já disponível em seu site que seja relacionado com o assunto do artigo que está escrevendo, insira um link entre eles.

    Dessa forma, você oferece mais informações relevantes para o visitante e ainda estimula a interação com o seu site.

 

  • Atenção com a velocidade de carregamento do site
     
    No mundo atual, a maioria das pessoas não têm paciência para esperar um site carregar por muito tempo e acabam entrando em outro logo em seguida. Segundo o Google: 

    “Em média, usuários deixam qualquer site se ele não carregar no celular dentro de três segundos, além da probabilidade ser cinco vezes maior das pessoas saírem de um site que não é otimizado para celular.” 

    Existem várias ferramentas gratuitas para ajudar a mensurar a velocidade de carregamento de sites, como o Teste Meu Site do Google, por exemplo. 

 

  • Conteúdo responsivo para dispositivos móveis

    Segundo o IBGE, o celular é o principal meio para acessar a internet no Brasil, ultrapassando o acesso por computadores.

    Por isso, se o seu site não estiver preparado para se ajustar ao mobile, o usuário irá encontrar as informações desorganizadas e não será estimulado a interagir.

    O segredo aqui é colocar-se no lugar do visitante e pensar: “se eu estivesse visitando essa página pela primeira vez, teria motivos para interagir e voltar novamente?”.

 

Conclusão

 
Não encare a taxa de rejeição como se fosse “um bicho de sete cabeças”, só é preciso entendê-la de forma clara para que você possa analisá-la corretamente, considerando todos os fatores que interferem em seu resultado.

Gostaram do conteúdo? Agora é com você, está na hora de colocar em prática o que abordamos e encaixar essas táticas no seu blog ou site! Ahh, não esqueça de deixar o seu comentário! 😉

 

____________________________________________________________________________________________________

Se você ficou com alguma dúvida ou deseja aprender mais sobre métricas de marketing digital, conheça o Curso Google Analytics Profissional destinado para iniciantes em métricas online e que precisam implementar uma estratégia de analytics prática e vencedora!


Compartilhe:

Emilly Andrade

Gestora de Conteúdo. Apaixonada por blogs, redes sociais e novidades do mercado digital. Adoro ler e não dispenso uma boa culinária com uma boa companhia.