Remarketing: como aumentar MUITO a sua taxa de conversão

Compartilhe:

Algumas semanas atrás, eu estava pesquisando os valores de tênis para corrida. Passei alguns dias pesquisando em sites de produtos de esporte e no fim acabei desistindo da compra (quem nunca?! haha).

Mas até hoje eu ainda vejo banners de tênis em todos os sites que eu acesso. Você sabe por que isso acontece? Não, isso não é uma coincidência, isso é o remarketing entrando em ação.

Nesse post vamos falar sobre o que é remarketing, como essa estratégia é desenvolvida dentro do marketing digital e inbound marketing, sua formas e maneiras mais usuais e como ela permite otimizar as conversões. Confira:

 

O que é remarketing?

 

Antes de começarmos com as definições, é bom deixar claro que “remarketing” e “retargeting” são praticamente a mesma coisa. A única diferença é que remarketing é a forma como o Google chama a sua própria ferramenta de retargeting (você pode considerar que esses termos são sinônimos – tanto quanto “bombril” e “palha de aço”). Outras plataformas, como o AdRoll por exemplo, utilizam o termo retargeting mesmo.

Quanto à etimologia da palavra, retargeting vem do inglês “target”, que significa “alvo”. Ou seja, a ideia do retargeting é impactar mais de uma vez a mesma pessoa, utilizando anúncios de produtos ou serviços já pesquisados anteriormente em seu site.

Essa é uma estratégia de marketing digital, muito utilizada por e-commerces, para garantir que o consumidor fique com a sua marca em mente enquanto pensa e decide sobre a compra. Dessa forma, as chances do cliente voltar para o seu site e efetuar a compra aumentam significamente.

 

Como funciona?

 

Assim como qualquer estratégia de marketing, se não houver planejamento, o remarketing perde seu valor. Por isso, o ideal é fazer o seu plano de remarketing trabalhando com o sistema de listas, isto é, dividindo os visitantes do seu site conforme o tipo de ação tomada.  

O sistema de listas nada mais é que uma segmentação, onde você vai separar os consumidores de acordo com o estágio do processo de compra (conscientização, avaliação, consideração e compra) em que cada um se encontra.

 

Por exemplo, o remarketing para quem para quem inseriu o item no carrinho e abandonou, será diferente do remarketing para quem somente visualizou um produto ou para quem efetivamente concluiu a compra.

 

É possível criar inúmeras listas, tudo vai depender da sua estratégia e objetivo. Você pode criar uma lista de pessoas que visitaram uma categoria de produtos ou um produto específico do seu site, que visitaram mais de cinco páginas do seu site, que compraram mais do que determinada quantia, e por aí vai.

Quanto a aplicação da estratégia de remarketing em si, vou dar uma explicação simplificada para você entender como tudo isso funciona.

Tudo começa com os cookies. Quando um visitante acessa o seu site, cria-se uma “marcação” para este cliente utilizando um cookie que ficará gravado no computador deste usuário. Assim, quando o visitante acessar outros sites, o Google vai identificar o cookie e exibir os anúncios que você determinou ao criar a campanha.
 

 

Formas de remarketing: Redes de Display, Rede de Pesquisa e Facebook

 

Quando anunciamos no Google AdWords temos a opção de exibir os anúncios em duas redes distintas: a Rede de Pesquisa e a Rede de Display.

A Rede de Pesquisa nada mais é que as páginas de respostas para as pesquisas feitas no Google e sites parceiros. Essa forma de remarketing tem a vantagem de que o usuário está pesquisando sobre o tema quando o anúncio é exibido. Ou seja, sua predisposição a clicar é maior.

Já a Rede de Display é composta por uma infinidade de sites, blogs e redes sociais que disponibilizam espaço para exibição de anúncios e, em troca, recebem um valor por cada clique. Os anúncios da rede display costumam ser mais elaborados visualmente, permitindo a criação de banners com diferentes formatos e tamanhos, bem como o uso de imagens e efeitos.

 

Exemplo de remarketing em Rede Display que utilizamos para as aulas do curso gratuito Marketing Digital para Iniciantes.

 

Outra opção a ser explorada é o remarketing do Facebook, que funciona de maneira parecida à Rede de Display, onde os anúncios de remarketing aparecem dentro da rede social, seja no feed de notícias ou na barra lateral.

 

Exemplo de remarketing no Facebook da Farm (feef) Netshoes (barra lateral).

 

DICA: Confira o post 9 Dicas para Criar um Anúncio Display Vendedor no Google AdWords e aprenda a montar um anúncio que gera resultados!

 

Maneiras mais usuais de utilizar o remarketing

 

    • Remarketing padrão: exibe anúncios para seus visitantes recentes enquanto eles navegam em outros sites;
    • Remarketing dinâmico: assim como o Remarketing tradicional, possibilita o anunciante exibir seu anúncio ao longo da Rede de Display para os usuários que já visitaram o seu site ou determinada página dentro deste. A grande diferença é que com Remarketing Dinâmico é possível mostrar anúncios específicos de produtos que o usuário visitou; 

      Clique na imagem para ampliar.

 

  • Remarketing para aplicativos móveis: mostrar anúncios para pessoas que acessaram sites no mobile ou utilizaram aplicativos;
  • Listas de remarketing para anúncios de busca: exibir anúncios para seus visitantes recentes quando eles pesquisarem assuntos que tenham a ver com os seus produtos ou serviços;
  • Remarketing de vídeo: exibir anúncios para as pessoas que interagiram com os seus vídeos ou canal no YouTube quando eles acessarem outros canais que acompanham.

 

O remarketing e a taxa de conversão

 

Segundo dados coletados pelo Google Adwords, apenas 3% dos visitantes de um e-commerce fazem a conversão na primeira visita ou depois de ver um anúncio pela primeira vez.

Aí que entra o principal papel do remarketing: aumentar as conversões. Muitos carrinhos abandonados, por exemplo, são frutos da indecisão na hora da finalização da compra. Com o remarketing, o cliente é repetidamente exposto ao produto e o resultado na maioria das vezes é o retorno à loja para finalizar a compra.

 

Segundo o site CMO.com, uma boa campanha de remarketing pode gerar 33% mais vendas para seu e-commerce. Dessa forma, você pode sair dos 3% da taxa de conversão convencional para 36% a mais de clientes comprando e se relacionando com sua marca.

 

Além disso, um levantamento desse mesmo site indica que o remarketing gera 16% mais engajamento e 12% mais consciência de marca para quem investe na estratégia.

Embora seja bastante focado em conversão para e-commerce, o remarketing também pode ser usado por empresas cujo objetivo é conquistar mais formulários preenchidos, contatos ou telefones, desde que a estratégia seja bem definida.

 

Conclusão

Por essas características, o remarketing é uma ótima estratégia de vendas devido, principalmente, ao crescimento da concorrência no e-commerce. Se aplicado de maneira correta, pode ser uma ferramenta poderosa para aumentar a taxa de conversão e aumentar a visibilidade da marca.

Gostaram das dicas sobre remarketing? Não se esqueça de deixar seu comentário dando a sua opinião e continue acompanhando as novas postagens! 😉

 


Aprenda a fazer remarketing no Google AdWords!

Clique aqui e saiba como gerar MAIS visitas e MAIS vendas no seu site utilizando com Google Adwords!

 

 

 

 

 


Compartilhe:

Emilly Andrade

Gestora de Conteúdo. Apaixonada por blogs, redes sociais e novidades do mercado digital. Adoro ler e não dispenso uma boa culinária com uma boa companhia.