7 Princípios de Neuromarketing para Melhorar seus Anúncios e Páginas

Compartilhe:

Os estudos recentes de neurociência têm mostrado como o cérebro humano responde a estímulos, em um nível sub-consciente. Prato cheio para o marketing, que cada vez mais aproveita brechas em nossa mente para vender mais, o que faz todo sentido, já que 95% das decisões que tomamos acontecem desta forma.

Roger Dooley, autor do livro Brainfluence, é um dos principais estudiosos do Neuromarketing e mostra como podemos aproveitar melhor a natureza do cérebro na hora de pensar em nossa ações de marketing.

Conheça 7 princípios de neuromarketing que serão bastante úteis para aprimorar seus anúncios e páginas na internet:

1) Mostre as diferenças com clareza

A mente humana não é boa em comparações muito próximas. Facilite este esforço com comparativos claros entre produtos ou serviços, mostrando graficamente benefícios e o que o consumidor ganha ou deixa de ganhar em cada opção.

 

2) Reduza as opções

O cérebro humano não gosta de ficar indeciso, preferindo muitas vezes não decidir do que ter que empreender esforços em uma decisão complexa. Por isso, reduza o número de opções à disposição do consumidor.

 

3) O contexto influencia a percepção

A mente avalia o valor de algo considerando o ambiente onde a experiência ocorre. Ou seja, um mesmo produto, com a mesma qualidade, pode ter um valor percebido maior em um local que estimule esta percepção.

Para você poder visualizar melhor este princípio do neuromarketing, vamos fazer um exercício. Qual dos círculos na imagem abaixo é o maior? O círculo da esquerda rodeado por bolas menores ou o círculo da direita rodeado por bolas maiores?

 

 

Se a sua resposta é que um dos círculos é maior que o outro, ela não está certa. Isto porque os dois círculos têm o mesmo tamanho, o que mudou foi a perspectiva sobre eles. Essa percepção pode ser explicada pelo fato de compararmos tudo que analisamos com fatores externos.

 

4) Cuidado na hora de falar sobre dinheiro

A simples exibição de imagens relacionadas a dinheiro dispara ao cérebro estímulos relacionados a um egoísmo e egocentrismo maiores.

Este tipo de apelo deve ser evitado em produtos de alto valor agregado e usado somente em produtos ou serviços que de fato gerem um ganho financeiro imediato.

 

5) Mostre os preços mais altos antes

Quando você mostra um preço pela primeira vez, estabelece uma “âncora” na mente de seu consumidor. Tudo mais que for visto depois será comparado com este valor inicial. Por isso, se quiser dar a impressão de que algo é barato, mostre algo mais caro antes.

Voltando a falar sobre percepção de valor, uma estratégia muito utilizada é a criação de um “produto âncora”. Este é um produto criado simplesmente para elevar a percepção de valor do produto que você realmente quer vender, funcionando como parâmetro comparativo.

Digamos que você queira comprar uma televisão e você precisa escolher uma das três opções indicadas na imagem abaixo. Qual você escolheria?

 

 

A resposta da maioria de vocês provavelmente será a opção dois, a TV Toshiba de 42’ por $850. Isto porque foi criada uma precificação que leva o consumidor a perceber mais valor no segundo produto.

A primeira opção é uma TV pequena com um preço relativamente baixo e a terceira opção é uma TV grande com preço bem alto, o que dá à segunda opção uma percepção de custo/benefício.

 

6) Positivismo ao se comunicar

Você sabia que somos extremamente pessimistas com as palavras que usamos no dia-a-dia? Muitas vezes coisas positivas se tornam negativas, só pela forma que falamos.

Por exemplo na frase, “Você vai à São Paulo, não é?”, estamos trazendo uma carga negativa desnecessária para a frase quando poderíamos dizer, “Você vai à São Paulo, certo?”.

Uma coisa curiosa que ilustra bem esse sentido de positivismo é como a Europa, a Ásia e a América do Norte se comunicam ao anunciar promoções, tratando-as de uma forma positiva.

Ao ir em qualquer loja que está oferecendo algum tipo de desconto nestes lugares, o desconto é representado pelo símbolo de mais (+) e não pelo de menos (-) como feito aqui no Brasil.

Isto para dizer para o consumidor que ele ganhou um determinado percentual de desconto, trazendo uma sensação de ganho para o consumidor.

A forma como você se comunica vai determinar seu resultado, e se você conseguir ser sempre positivo, o resultado tende a ser positivo também.

 

7) Evite números redondos

Valores como R$ 48,99 são melhor fixados pelo cérebro e passam uma impressão de exatidão, facilitando a ancoragem.

A diferença entre o preço quebrado e o preço redondo é mínima, mas seu efeito causa no consumidor um impacto psicológico,  aumentando o valor percebido do produto/serviço.

 

Conclusão

A utilização do neuromarketing é uma crescente tendência mundial pois simplesmente perguntar ao consumidor o que ele pensa e sente não tem sido eficaz para gerar informações suficientes para a tomada de decisões e definir estratégias.

Ao aplicar estas dicas que fornecemos, os seus anúncios e páginas na internet com certeza terão muito mais impacto no consumidor e, consequentemente, trará muito mais resultados.

O que acharam das dicas? Deixe seu comentário dando sua opinião sobre esta forte tendência do marketing. 

 


PRODIGITAL – O mais completo Programa de Formação em Marketing Digital. Nele, você vai aprender, do básico ao avançado, as técnicas, métodos, estratégias e ferramentas para otimizar seus resultados através da internet. Clique aqui para saber mais informações sobre a próxima turma.


Compartilhe:

Emilly Andrade

Gestora de Conteúdo. Apaixonada por blogs, redes sociais e novidades do mercado digital. Adoro ler e não dispenso uma boa culinária com uma boa companhia.

  • Rogério Arthur Matos

    As opções de compra a um cliente, realmente devem estar muito claras ao consumidor. Somente dessa forma poderemos ter a confiança dos mesmos e o aumento das conversões das visitas a um site que trabalhe com qualquer forma de Comércio online. Exemplos são as chamadas Multiofertas nos sites de compras coletivas que desafiam a idéia de um número grande de possibilidades de compra diminuir a chance de conversão de um usuário, sua vontade de comprar e de fazê-lo impulsivamente.

  • julio Vieira

    Excelente texto.

    • Emilly Andrade

      Muito obrigada Julio, volte sempre!

    • Olá Julio, tudo bom?
      Agradecemos seu comentário. 🙂

  • Oswaldo Viana

    Gostei!

    • Emilly Andrade

      Que bom que gostou do conteúdo Oswaldo! Continue acompanhando nossos posts! 😉

    • Olá Oswaldo, tudo bom?
      Agradecemos seu comentário em nosso post.
      Até uma próxima! 🙂